Nascido em 1960, o mangaká Naoki Urasawa viveu sua infância e juventude em um dos mais fascinantes períodos da história moderna do Japão. O arquipélago destruído na Segunda Guerra Mundial se reconstruía rapidamente e dava saltos econômicos a cada ano. Uma grande população rural e moradores de cortiços nas cidades se tornaram uma nova e poderosa classe média. Foi o período de maior prosperidade econômica da história do Japão.

20th Century Boys20th Century Boys, o mais famoso mangá de Urasawa, se passa, em parte, nesse período. A genialidade do mangaká faz um ode ao melhor momento de nossas vidas, a infância. E esse sentimento nostálgico permeia toda a história de 20th. O mangá, publicado entre 2000 e 2006, ganhou o Kodansha Manga Award (2001), o Japan Media Arts Festival (2002), o Shogakukan Manga Award (2003) e o Angoulême International Comics Festival Prize for a Series (2004).

Finalmente, em 2008, a obra ganhou a tela dos cinemas. E não com apenas uma produção, mas três filmes. A primeira parte estreou em agosto de 2008, a segunda em janeiro de 2009 e a parte final em agosto de 2009. Airi Taira recebeu um Award of the Japanese Academy de atriz revelação pela participação na segunda e terceira parte da trilogia.

Os filmes de 20th Century Boys estão entre os mais caros da indústria cinematográfica japonesa, com mais de 50 milhões de dólares de orçamento. E cada centavo investido valeu a pena. Após quatro parágrafos, o leitor deve estar se perguntando: afinal, qual a história desses filmes? Eu classificaria como ficção-verídica-nostálgica-apocalíptica.

20th Century Boys

Em 1969, um grupo de amigos (crianças na faixa dos 10 anos) cria uma historinha a qual dão o nome de “Livro da Profecia”. São algumas páginas com desenhos, algum texto e os elementos que toda criança gosta: aventura, alienígenas, dominação da Terra e heróis. A surpresa é, quando no final da década de 1990, os fatos descritos no “Livro da Profecia” começam a virar realidade.

Um grande líder surge, o Amigo (tomodachi em japonês). Seu rosto é coberto por uma máscara de pano com um símbolo de um olho fundido com uma mão, com o indicador apontando para cima. Um símbolo que aquele grupo de amigos conhece muito bem, pois desenharam no “Livro da Profecia”. O grande dilema do filme é como parar tudo o que está acontecendo. E quem é o Amigo e como ele tem conhecimento da história criada em 1969.

20th Century Boys

Nas lembranças dos amigos quando criança, os filmes estão cheios de referência à crescente cultura pop japonesa daquela época. Nos tempos atuais, os filmes retratam a apatia japonesa e uma sociedade que reprime seus sentimentos em prol da normalidade e da continuidade. O que fazer quando só você sabe de uma verdade que aos olhos de todos é completamente louca e absurda?

20th Century Boys

O grande líder Amigo lembra muito outro grande líder, vizinho dos japoneses. O domínio que Amigo passa a ter do povo é muito parecido ao domínio e endeusamento de Kim Il Sung, o primeiro líder da Coreia do Norte, e Kim Jong Il, o atual líder norte-coreano. Ambos são quase divinos, não são questionados e reescreveram a história a seu favor. E no mundo atual, não estamos livres de novos grandes líderes como Kim Il Sung, Kim Jong Il e Amigo. Esse é o alerta de Naoki Urasawa.

20th Century Boys

Não vou entrar mais na história de 20th Century Boys, pois cada minuto do filme é uma nova revelação. Bons filmes de mistério têm esse ingrediente, você não consegue adivinhar o que vem a seguir. Mas 20th também é um excelente filme de ficção, algumas vezes científica. E também é uma crítica mordaz a sociedade, não só japonesa, mas esse que chamam de aldeia global. 20th Century Boys é uma trilogia que vale a pena assistir, pelas mais diferentes razões. Vale a pena!

Anúncios