O senhor Silva apoiava um lado. Odiava os comunistas, odiava a União Soviética. Torcia para que a democracia que os americanos levavam ao mundo esmagasse os ‘vermelhos’, como ele se referia aos herdeiros de Stálin. O mundo era muito claro. O bem era capitalista e guiado pelos americanos. O mal era comunista e guiado pelos soviéticos. O inimigo era sórdido. Para Silva, era mais do que óbvio quem eram os vilões do mundo. A frieza, maldade e vilania dos soviéticos eram o maior câncer que já se abatera sobre a Terra.

O senhor Andropov também apoiava um lado. Odiava os capitalistas, odiava os Estados Unidos. Torcia para que a igualdade que os soviéticos levavam ao mundo esmagasse os ‘ianques’, como ele se referia aos herdeiros de Washington. O mundo era muito claro. O bem era comunista e guiado pelos soviéticos. O mal era capitalista e guiado pelos americanos. O inimigo era sórdido. Para Andropov, era mais do que óbvio quem eram os vilões do mundo. A frieza, maldade e vilania dos americanos eram o maior câncer que já se abatera sobre a Terra.

bbc-russia-us-05102015Na segunda metade da década de 1980, Silva, o capitalista, e Andropov, o comunista, por algum motivo, foram parar no hospital. Ambos entraram em coma. Os anos passaram, o mundo mudou, mas nem tanto. Silva e Andropov milagrosamente acordaram do coma no segundo semestre de 2015. Uma alegria imensa para a família de ambos. A recuperação foi fantástica. Silva ligou a televisão e logo resmungou contra os ‘vermelhos’ ao ver uma notícia sobre o desacordo entre os presidentes americano e russo em relação aos ataques aéreos em território sírio. Andropov também ligou a televisão e logo resmungou contra os ‘ianques’ ao ver uma notícia sobre o desacordo entre os presidentes russo e americano em relação ao apoio ao presidente sírio ou seus opositores.

Três décadas e o mundo não mudou, pensaram Silva e Andropov. Ou enquanto eles estavam em coma o mundo deu uma volta completa e voltou ao mesmo lugar. Estados Unidos e Rússia não sobrevivem sem um arqui-inimigo e a imprensa adora um arqui-inimigo para ver sua audiência aumentar. O mundo só é maniqueísta nas páginas dos jornais e revistas, nas ondas do rádio e da televisão e nos cliques da internet. A complexidade do mundo real é demasiada complexa para que o leitor gaste seu dinheiro para compreendê-la. O maniqueísmo é sucesso no cinema, então também é sucesso garantido na imprensa. É sucesso entre Silva e Andropov. Assim, o maniqueísmo se perpetua.

rt-russia-us-05102015A Guerra Fria não retornou. O mundo não voltou para o mesmo lugar. Estados Unidos e Rússia não representam o bem e o mal, ou vice-versa, no atual conflito na Síria. A ação de ambos não é, nem nunca foi, em prol de qualquer bem do povo sírio e de quem vive na região. Ambos visam apenas os próprios interesses escusos que, certamente, trarão muito mais mal à região no futuro. Os dois países veem os territórios fora de suas fronteiras como quintal para suas brincadeiras políticas megalomaníacas. E os senhores Silva e Andropov ainda acham que o mundo é preto e branco e vibram com as manchetes maniqueístas. Serão pegos de surpresa e engolidos pela máquina de utopia que apoiam. E a imprensa é cúmplice do simplismo que por um lado ataca e por outro abraça.

Anúncios