Busca

Mundo Naressi

Uma visão, muitos mundos

Categoria

Asian Culture

125

Do outro lado do mundo – Parte III

texto_japao_03

Ônibus

Durante muitos anos paguei meus pecados diariamente no “falcão prateado”. Nunca andou no ligeirinho Inter 2? Pois desejo que nunca precise. Um dia, com o ônibus sendo “pilotado” por um motorista com complexo de Michael Schumacher, um homem gritou: “Isso aqui não é caminhão de porcos, motorista!”. Por isso, o transporte coletivo no Japão me impressionou tanto. Continuar lendo “Do outro lado do mundo – Parte III”

Do outro lado do mundo – Parte II

texto_japao_02

Táxi

Você acha o táxi no Brasil caro? Pois então prepare o bolso para pegar um táxi no Japão. Se há um momento em que a palavra “assalto” pode ser bem empregada no Japão, é ao pagar o táxi. O preço da corrida é um verdadeiro “assalto”. Continuar lendo “Do outro lado do mundo – Parte II”

Do outro lado do mundo – Parte I

Foi publicado no jornal Tribuna do Paraná de 19/12/2012 o primeiro texto sobre minha viagem ao Japão. A ideia surgiu do diretor de redação da Tribuna, Rafael Tavares, ao ouvir os meus relatos sobre como fiquei impressionado com as diferenças entre o Brasil e o Japão.

E todos os textos que eu vou publicar na Tribuna, resumo com uma única palavra: educação. O Japão é a prova do que a educação faz por um povo. E a esperança de que um dia fará o mesmo pelo Brasil. Continuar lendo “Do outro lado do mundo – Parte I”

De olhos fechados – o trânsito em Kanazawa

Pedestres aguardam para atravessar a rua em frente à Estação de Kanazawa (金沢駅).

No Japão, em Kanazawa mais especificamente, é difícil ouvir uma buzinada no trânsito. O respeito é a palavra chave. Sempre que um veículo está dobrando uma esquina, deve dar preferência para os pedestres que estão cruzando. E assim acontece. Arrisco dizer, que em Kanazawa, dá para atravessar de olhos fechados. Continuar lendo “De olhos fechados – o trânsito em Kanazawa”

Minha primeira impressão do Japão

Uma sensação de ser um estranho no ninho. Para todos os lados só têm gente de olho puxado e falando uma língua que ainda não domino.

Minha passagem do voo pela ANA (Air Nipon Airways) de Chicago para Tóquio.

Mas já foi possível sentir o espírito japonês no voo partindo de Chicago, quando o avião teve que esperar para decolar e o piloto pediu desculpas pelo congestionamento aéreo na decolagem, que estava fora do alcance dele. O avião pousou em Narita, na última pista, a mais longe do terminal de desembarque. Ao finalmente parar, o piloto pediu desculpas pelo longo caminho da aeronave em solo. Continuar lendo “Minha primeira impressão do Japão”

Nada como não ser oficial

Nada melhor do que a própria criadora para satirizar sua obra. E a Toei Company, criadora dos Super Sentais – os esquadrões coloridos, com robôs gigantes – soube fazer isso muito bem em Hikounin Sentai Akibaranger(非公認戦隊アキバレンジャー). Continuar lendo “Nada como não ser oficial”

11/03

No dia 11 de março de 2011, acordei para trabalhar e liguei a televisão. A primeira imagem que vi foi difícil de entender: uma espécie de água correndo sobre um campo. O apresentador então fala sobre a onda, um terremoto e tsunami. Na minha mente, já comecei a me perguntar se seria na região da Indonésia. Em seguida, a apresentadora começa a recapitular a história. Às 14h46 um terremoto sacudiu o Japão e cerca de 30 minutos depois o país foi atingido por um tsunami. Fiquei parado em frente à televisão, chocado com as imagens que estavam sendo exibidas. Alguns minutos depois, um colega me liga da redação e pergunta se eu estava acompanhando o que estava acontecendo no Japão. Eu já sabia que seria um dia de trabalho intenso. Continuar lendo “11/03”

Quando um ditador brasileiro tentou dominar o Japão

Esta é uma história pouco conhecida. Em 1974, o presidente da Ditadura Militar Ernesto Beckmann Geisel, após dominar o Brasil, decidiu dominar o Japão! Não sei porque o Japão, mas todo vilão que se preza tenta começar a conquista da Terra pelo arquipélago nipônico. Continuar lendo “Quando um ditador brasileiro tentou dominar o Japão”

Valeu a pena, piratas!

Justa, muito justa, mais do que justa. Creio que assim dá para começar a definir como Kaizoku Sentai Gokaiger (海賊戦隊ゴーカイジャー) lidou com os 35 anos da franquia. De forma justa! Continuar lendo “Valeu a pena, piratas!”

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑