Era 20 de março de 1995. Mais um dia de trabalho em Tóquio. Movimento intenso no transporte coletivo. Em cinco pontos do Metrô de Tóquio foi liberado um gás chamado sarin. Doze pessoas morreram, cinquenta ficaram gravemente intoxicadas e outras seis mil passaram mal. Foi o mais grave ataque em solo japonês desde o final da Segunda Guerra Mundial.

Os ataques foram perpetrados por membros do grupo Aum Shinrikyo, a seita da Verdade Suprema. O grupo fundado por Shoko Asahara em 1984 segue um amálgama de interpretações do Budismo, Cristianismo e textos de Nostradamus.

Na época dos ataques ao Metrô de Tóquio, a polícia informou que o grupo pretendia criar um “apocalipse” para instalar um governo próprio. Mas a Aum Shinrikyo afirmou que os terroristas eram membros renegados da seita e até hoje não se sabe o real motivo dos ataques.

Tudo isso leva ao filme japonês ‘Kanaria’, de 2005. É inegável a marca que a Aum Shinrikyo deixou na história recente do Japão. E isso é refletido na obra do diretor e roteirista Akihiko Shiota.

‘Kanaria’ conta a história da fuga de um menino de 12 anos, Koichi Iwase, que vivia em um acampamento do grupo religioso Nirvana, até ser retirado do local pelo governo. A mãe do menino é membro da seita e é procurada por estar envolvida em um ataque terrorista. A irmã de Koichi foi levada pelo avô, que deixou o menino no abrigo do governo.


Koichi quer reencontrar a irmã, tirá-la do avô e procurar sua mãe. No caminho, ele encontra outra fugitiva, Yuki Niina, que tenta escapar da violência de seu pai. Juntos eles seguem para Tóquio, em momentos entremeados pelo período em que Koichi viveu na seita. Fanatismo e a dura realidade se misturam em uma história guiada pelo instinto.


Nem é preciso comentar a relação entre a Aum Shinrikyo e a fictícia Nirvana. E o ato terrorista cometido pela mãe de Koichi e o ataque ao Metrô de Tóquio. Mas e as crianças? Os filhos daqueles que caíram para o fanatismo? ‘Kanaria’ é inédito ao abordar o lado desprotegido e inocente de toda essa loucura. Vale a pena!

Hoshi Ishida, o jovem ator que interpretou Koichi Iwase, ganhou o Sponichi Grand Prize New Talent Award como ator revelação.

Anúncios