Segue abaixo reprodução de texto publicado no site do jornal A Nação.

Desmascarado plano do Vaticano para o Apocalipse

Por Gabriel Espilacopa

Em sua edição deste domingo, o jornal norte-americano The Global Times desvendou uma trama digna dos livros do famoso escritor, e inimigo da Igreja Católica Apostólica Romana, Dan Brown. Mas nem a genialidade do escritor poderia ter criado uma história tão assombrosa.

De acordo com a reportagem do The Global Times, após o assassinato do Papa Benevolente IV, em uma visita a Washington, em dezembro de 2012, os membros da Congregação da Purificação Alva da Humanidade coordenaram um plano secreto. Sob o comando do cardeal filipino Lino Alix Torres, a congregação aliciou outros cardeais do colégio eleitoral e conseguiu eleger o cardeal romeno Anjou Brasov como Papa Urbano IX. Com o apoio papal, a ajuda do bispo primaz da Letônia e de integrantes da Dievturiba, uma religião letã que tem raízes históricas baseadas na mitologia da era pré-cristã, teve início o projeto Redivivus Clementia.

Um pedaço do verdadeiro santo sudário, que ficava guardado em um cofre oculto em um salão do sub-solo da Basílica de São Pedro, foi retirado e examinado pelo laboratório canadense Underlabs Biotechnology. O que se estava procurando era algum vestígio do sangue de Cristo no pedaço de pano. E um vestígio foi encontrado, que levou a um DNA completo. Imediatamente o Instituto para as Obras Religiosas (IOR), conhecido popularmente como o Banco do Vaticano, liberou uma verba de 2 bilhões de euros para o projeto Redivivus Clementia.

A Congregação da Purificação Alva da Humanidade foi transferida do Vaticano para a cidade de Alūksne, na fronteira da Letônia com a Estônia. Um grande e moderno laboratório genético foi montado no sub-solo de uma fábrica de móveis de escritório. A missão dos cientistas do Vaticano era criar um clone, tendo como matriz o DNA extraído do pedaço do santo sudário. Segundo o geneticista russo Boris Loznitsa, a congregação queria dar vida a um novo Cristo para apressar o Apocalipse.

Loznitsa ainda relatou à reportagem do The Global Times, que a misteriosa explosão que destruiu a cidade de Ribnita, na Moldávia, há 17 anos, tinha relação com o projeto Redivivus Clementia. Segundo ele, era na Moldávia que a congregação recriava as passagens bíblicas no cérebro do clone maturado. A destruição da cidade teria sido resultado dos inexplicáveis poderes que alguns clones desenvolviam após algum tempo.

Depois de 26 anos de trabalho, o geneticista russo, outros colegas cientistas do Vaticano e alguns bispos decidiram levar a público todo o projeto por temerem por suas vidas. O bispo Nicolau Amadeus revelou que nos últimos 17 meses, 32 membros da congregação morreram em acidentes de carro e nove bispos ligados ao projeto foram vítimas de infartos fulminantes. No início do mês, o Vaticano informou que o Cardeal Lino Alix Torres faleceu de morte natural, mas Amadeus relatou à reportagem do The Global Times que o cardeal filipino foi na verdade encontrado enforcado em seu quarto. Em um bilhete deixado em cima de uma Bíblia, estava escrito: “O Apocalipse chegará mais cedo para todos aqueles que o procuram”.

O Vaticano não se pronunciou sobre as denúncias, mas dois dias após o jornal The Global Times ter tido o primeiro contato com a história, a fábrica de móveis de escritório na Letônia, onde o geneticista Boris Loznitsa disse que havia um laboratório, foi destruída em um incêndio. Segundo um cardeal que pediu para não ser identificado, o Papa Urbano IX convocou no final de semana passado uma reunião urgente com os cardeais mais próximos. O novo bispo primaz da Letônia teria ido às pressas para o Vaticano.

De acordo com informações recebidas pelo jornal The Global Times, a força especial de investigação russa, a MVB, e o serviço de segurança britânico, o MI-5, estariam trabalhando com a Interpol na investigação do projeto Redivivus Clementia. Mais de 40 religiosos teriam sido presos nos últimos meses. Os governos russo e britânico, além da Interpol, negam que estejam realizando qualquer investigação envolvendo o Vaticano.

Após tudo isso, uma pergunta ainda fica no ar. Foi ou não desenvolvido um clone de Jesus Cristo? Os cientistas e os bispos ouvidos pelo jornal The Global Times afirmaram não saber. Segundo Boris Loznitsa, ninguém tinha acesso a todas as etapas do projeto.

Anúncios